Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notas Paralelas

Um espaço para escrever sobre coisas e acontecimentos que me despertam

Notas Paralelas

Um espaço para escrever sobre coisas e acontecimentos que me despertam

16.Jul.18

Como definir uma estratégia para atingir um objectivo em três passos

João P.
Definir uma estratégia é fácil, difícil é implementá-la.   Passos para definir uma estratégia para atingir um objectivo: 1 - Definir o objectivo que pretendemos atingir;  2 - Analisar a nossa situação actual face a esse objectivo, incluindo uma análise dos meios que temos à nossa disposição; 3 - Definir uma estratégia que parta do ponto 2 e que chegue a 1; Agora que temos a estratégia desenhada, vem a parte mais importante e sensível, a sua implementação.
25.Fev.18

Os políticos são corruptos, e daí?

João P.
A maior parte das pessoas que conheço queixa-se que os políticos são corruptos, o que a avaliar pela quantidade de casos e histórias mal contadas que vemos nas notícias é uma realidade na qual não é difícil de acreditar. Concordo que a classe política e dirigente em Portugal, que todos os dias vemos nas notícias, são uma classe um bocadinho cinzenta e na qual provavelmente não confiaria a chave de minha casa, no entanto, confesso que me é indiferente se são corruptos ou não.
23.Fev.18

Quando a rotina nos aborrece

João P.
A rotina é aborrecida, por definição a palavra aborrecido vem sempre colada à palavra rotina. Quando estamos envolvidos durante muito tempo com uma rotina, o mesmo é dizer que andamos aborrecidos, as coisas só são interessantes até se tornarem rotina, quando se tornam rotina, tornam-se aborrecidas por definição. Quebrar a rotina é importante para quebrar o aborrecimento, para nos injetar nova energia e assim suportarmos melhor a rotina, ou seja o aborrecimento. Mas, tal não (...)
20.Fev.18

Porque é impossível sermos nós próprios

João P.
Quantas vezes recebemos aquele conselho, "sê tu próprio e tudo vai correr bem"? O mais incrível sobre este conselho é que ele até pode ser verdadeiro mas, geralmente quem o dá não faz a mínima ideia do que está a dizer e nós não fazemos a mínima ideia do que a pessoa quer dizer. Afinal o que é isso de sermos nós próprios? Eu sou eu, parece-me evidente!  Entendo por sermos nós próprios agirmos de acordo com a nossa consciência sem nos preocuparmos com o que os outros (...)
16.Fev.18

O que sentimos quando vemos uma mulher atraente

João P.
Há algo que sempre me fascinou - o efeito que uma mulher atraente provoca em mim quando a vejo. Não há nada que chame mais a atenção de um homem do que uma mulher atraente, seja onde formos, a coisa mais bonita que vamos ver será uma mulher, seja quando vamos ao cinema, a um jogo de futebol, a um museu, seja onde for. Sempre desviaremos o olhar de um quadro de Picasso para olharmos uma mulher atraente. A única coisa que rivaliza com ela será um carro mas, mesmo assim a beleza da (...)
11.Fev.18

A forma da água

João P.
 Estamos em plena época de filmes para os óscares. Há muitos filmes bons em cartaz e quem ganha somos nós, os espectadores de cinema. Tive a oportunidade de ver vários dos filmes que estão nomeados para os óscares e já escolhi o meu favorito, a forma da água. O the post, é grande filme, bem realizado, com grandes actores, um grande argumento e uma fotografia impressionante, no entanto, há algo que não me cativou. Não sei bem o quê, penso que o filme é um pouco (...)
10.Fev.18

Porque gostamos de escrever?

João P.
Há pessoas que gostam de escrever e escrevem, há pessoas que gostam de escrever e não escrevem, há pessoas que não gostam de escrever e escrevem e há pessoas que não gostam de escrever e não escrevem. Todas estas pessoas são diferentes, a pessoa que gosta de escrever e escreve provavelmente sentir-se-á uma pessoa realizada e produtiva, a pessoa que gosta de escrever e não escreve provavelmente será preguiçosa e fica sempre àquem do seu potencial, a pessoa que não gosta de (...)
09.Fev.18

De onde vem a inteligência?

João P.
Muitas vezes pergunto-me, de onde virá a inteligência? Será que vem de algum lugar dentro do nosso cérebro ou de fora dele? São perguntas que me atormentam e para as quais não consigo encontrar uma resposta que me satisfaça. Se por um lado faz sentido que haja uma zona do nosso cérebro que armazene a inteligência e que a ponha à nossa disposição quando a solicitamos, por outro lado a inteligência acumulada numa pessoa é tanta que não poderia ser toda armazenada dentro de um (...)
06.Fev.18

Porque não resistimos a uma boa história?

João P.
É facto, não consigo resistir a uma boa história. Nunca sei se é história os estórias, só me apercebi da palavra estórias já andava na faculdade e até aí sempre me referi às estórias como histórias, daí continuar a chamar-lhe histórias. Também não tenho a certeza se a palavra existe em português, por vezes tenho a sensação de se tratar apenas de uma tradução literal da palavra inglesa stories. Incrível como a língua inglesa sempre tão parca em palavras, neste caso (...)