Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Notas Paralelas

Um espaço para escrever sobre coisas e acontecimentos que me despertam

Notas Paralelas

Um espaço para escrever sobre coisas e acontecimentos que me despertam

20.Fev.18

Porque é impossível sermos nós próprios

Quantas vezes recebemos aquele conselho, "sê tu próprio e tudo vai correr bem"? O mais incrível sobre este conselho é que ele até pode ser verdadeiro mas, geralmente quem o dá não faz a mínima ideia do que está a dizer e nós não fazemos a mínima ideia do que a pessoa quer dizer. Afinal o que é isso de sermos nós próprios? Eu sou eu, parece-me evidente! 

Entendo por sermos nós próprios agirmos de acordo com a nossa consciência sem nos preocuparmos com o que os outros pensam sobre nós, sermos independentes da opinião alheia na nossa ação. Dizem-nos que temos que ignorar os outros e seguir o nosso caminho para termos sucesso ou para sermos felizes, algo com que concordo, evidentemente. Mas, é possível sermos verdadeiramente nós, quando a nossa personalidade e o nosso carácter é moldado ao longo dos anos pelos filmes que vemos, livros que lemos, músicas que ouvimos, conversas que temos, viagens que fazemos, fotografias que tiramos, etc? Será que esse nós próprios que nos pedem para sermos para conseguirmos o que queremos ainda existe, já não terá sido totalmente diluído durante a nossa experiência de vida? Ou, será que o que nós somos é o que nos faz ver os filmes que vemos, as músicas que ouvimos, os livros que lemos, as viagens que fazemos, etc?

Acredito que as experiências por que passamos ao longo da vida moldam o que nós somos e que o que nós somos também procura as experiências com que se identifica. Há uma dinâmica entre dentro e fora, ou seja, há experiências que procuramos porque há uma necessidade interior de a realizar, é quando o que nós somos busca a experiência, por outro lado, há experiências que nos aparecem no caminho, que nos são impostas pela vida, são as experiências que vêm de fora e que influenciam o nosso interior, ou seja o como nós somos.

Talvez apenas sejamos nós próprios enquanto estamos dentro da barriga da mãe e, mesmo aí não sabemos se ainda somos nós próprios porque as experiências que a mãe vive podem condicionar o que nós viremos a ser, coisas como a alimentação, o local onde nascemos ou o estrato social dos pais irão ter grande influência no que seremos.

Por tudo isto, quando oiço alguém dizer, sê tu próprio, fico em pânico, mas, afinal quem sou eu? Alguma vez eu fui eu? Porque a coisa mais básica em mim, que devem ser os meus genes, não são meus, foram-me transmitidos pelos meus progenitores e, isso é deles, logo já não posso ser só eu.

Afinal, o que é sermos nós próprios? Será uma acumulação disto tudo? Mas, se for eu já não sou eu, sou tudo o que vivi!

 

4 comentários

Comentar post